Dra. Sullege responde suas dúvidas

 Publicado por: Sullege Suzuki

Tratamento estético é coisa séria, e muitos deles exigem cuidados específicos para serem mais efetivos. Mas esses cuidados, assim como os procedimentos em si, podem gerar muitas dúvidas nas pessoas, que podem se confundir com as características e necessidades de cada um.

Por isso, a Dra. Sullege Suzuki separou algumas perguntas bastante comuns sobre alguns procedimentos estéticos para informar e tranquilizar o público geral sobre esses assuntos.

As perguntas são:

"Se estiver tratando melasma, posso tomar sol usando filtro solar e pano no rosto?"

Não. Mesmo com todas as proteções possíveis, a exposição ao sol inevitavelmente causará um escurecimento das manchas. Se o tratamento já teve início, o ideal é que se evite ao máximo qualquer tipo de exposição da pele à radiação e ao calor.

"Por que minha toxina botulínica não está durando seis meses?"

A toxina é uma molécula que age entre o nervo e o músculo, interrompendo o sinal entre eles e, assim paralizando o músculo e aliviando a linha de expressão. Mas o corpo não fica parado: ele tenta recuperar essa conexão, enviando estímulos para reativar o músculo.

Enventualmente, ele consegue, e por isso a toxina não é permanente. Como sua molécula é metabolizada, e o corpo busca se regenerar, o tempo de duração do procedimento depende de como o corpo reage à toxina. Isso levanta outro ponto importante: mais toxina não significa mais duração. Em grandes quantidades, ela pode ser prejudicial.

A técnica de aplicação da toxina também mudou ao longo dos anos. Há alguns anos, era comum se usar doses maiores do produto. Mas um tratamento com doses grandes de toxina deixa um efeito artificial, plastificado, e hoje pouca gente quer isso. A aplicação mais comedida tem um efeito mais natural.

Entre outras razões particulares, a prática de exercícios físicos mais intensos ou o uso de antibióticos durante o tratamento, por exemplo, podem diminuir o tempo de duração do botox. Doenças de base, assim como o próprio estilo de vida da pessoa, podem interferir no tempo da toxina.

"Tomar colágeno melhora a flacidez do rosto?"

É relativo. Na sua forma hidrolisada, ela apresenta uma melhor absorção pelo corpo, o que ajuda amenizar a diminuição da produção do colágeno, que é natural com a idade. É sempre bom lembrar que uma alimentação balanceada e estável, assim como evitar maus hábitos (fumar, exposição ao sol, etc.), também é importante para manter a juventude da pele.

Entretanto, o colágeno serve como prevenção. No caso da flacidez já aparente, ou de uma idade mais avançada onde a perda dessa proteína é inevitável, realizar procedimentos e tratamentos estéticos é a maneira mais eficiente para recuperar o brilho e a firmeza da pele.

"Posso fazer química e secar meus cabelos com secador tratando para queda capilar?"

Toda química, de alguma forma, mexe com os fios e o couro cabeludo, então o ideal é preservá-los o máximo possível durante o tratamento. Aderir a um cronograma de cuidados com a ajuda de especialistas pode ajudar a manter o cabelo bonito durante o tratamento.

O mesmo ocorre com os secadores. O calor excessivo e a proximidade exagerada do aparelho já são prejudiciais aos fios naturalmente. O ideal é manter o aparelho a uma distância de pelo menos 15 centímetros, onde o calor ainda seca os fios, mas os danifica muito menos. E na hora de escolher o secador, o indicado é usar os com difusor, que espalham o calor de maneira menos agressiva.

Gostou das respostas? O Espaço Sullege Suzuki oferece os melhores profissionais para tirar suas dúvidas e cuidar do seu cabelo. Entre em contato e agende sua consulta!

Agende sua consulta

    Espaço Sullege Suzuki | 2018. © Todos os direitos resevados
    Desenvolvido por Link9 & MedConsulting